domingo, 9 de outubro de 2011

O CHÃO TREMEU NA NOVA ZELÂNDIA, MAS WALLABIES E ALL BLACKS SEGUEM EM FRENTE

OS PUMAS AGUENTARAM UMA HORA, mas os 20 minutos finais foram demais e a Nova Zelândia ganhou por 33-10 o direito a defrontar a Austrália na meia final, depois dos Wallabies terem eliminado a África do Sul, com uma penalidade aos 72 minutos do jogo desta madrugada.

A Austrália chegou ao intervalo a vencer por 8-3, mas os Springboks vieram dos balneários dispostos a virar o jogo e conseguiram chegar aos 9-8, com uma segunda penalidade e um pontapé de ressalto de Morne Steyn, para, finalmente, aos 72 minutos James O'Connor marcar o seu segundo pontapé de penalidade e pôr os Wallabies na meia final.

No segundo jogo do dia previa-se uma vitória com relativa facilidade dos All Blacks, mas para conseguirem vencer, os homens de preto tiveram de suar muito e ter muita paciência, perante uma defesa quase inexpugnável da Argentina, e um ataque venenoso que lhes permitiu marcar o primeiro ensaio do jogo - e o único da primeira parte - levando o resultado para os balneários nos 12-7 para a equipa da casa.

O jogo manteve-se muito equilibrado durante os primeiros 20 minutos do segundo tempo, com mais uma penalidade transformada para cada lado, mas aos 58 minutos o cartão amarelo aplicado a Nicolas Vergallo acabou por ser determinante, e a partir daí só deu Nova Zelândia que marcou mais dois ensaios, uma transformação e duas penalidades.

Uma referência especial para o médio de formação neo zelandês Piri Weepu, não apenas por ter marcado sete pontapés de penalidade - um novo máximo dos All Blacks em campeonatos do Mundo e também um máximo absoluto neste campeonato - mas especialmente pela sua qualidade nas técnicas específicas de um formação.

Seria bom que os números nove nacionais estudassem os seus movimentos - desde o "simples" passe, que não se limita ao balanceamento dos braços, mas que é completado pelo movimento dos pulsos (dentro de uma velha escola que vem desde os tempos de Sid Going), imprimindo velocidade e potência à bola, até à inexistência de movimentos desnecessários que apenas permitem às defesas subir no terreno.

Agora é esperar pelo próximo fim de semana para assistirmos a duas sensacionais meias finais - a do Norte entre o País de Gales e a França, e a do Sul, entre Austrália e Nova Zelândia.



REGRESSAR AO PORTAL MÃO DE MESTRE

Sem comentários:

Publicar um comentário